8 de fev de 2016

BONNIE E CLYDE - UMA VIDA DE CRIMES

BONNIE E CLYDE

Bonnie e Clyde conheceram-se no Texas em janeiro de 1930. Na época, Clyde, com 21 anos, era solteiro e Bonnie, com 19 anos, era casada com um assassino que se encontrava na prisão.

Clyde Champion Barrow era suspeito de vários assassinatos e era procurado por diversas acusações de homicídio, roubo e sequestro.

O casal tinha uma sintonia maluca e uma atração fixa pelo mundo do crime. Conseguiam sair impunes de seus crimes e durante muito tempo deram trabalho para a polícia e para o FBI. Foram capa de jornal, ficaram famosos pelos seus atos inconsequentes.

Depois de muitas buscas e tentativas frustradas de deter o casal, a polícia ficou sabendo que Bonnie e Clyde tinham participado de uma festa no Black Lake, Louisiana, na noite de 21 de maio de 1934 e que deviam retornar para a mesma área dois dias depois.

Antes do amanhecer em 23 de maio de 1934, um pelotão composto por policiais de Louisiana e Texas, incluindo Frank Hamer do Texas Rangers se esconderam em arbustos ao longo da estrada perto de Sailes, Louisiana. Bonnie e Clyde apareceram em um automóvel, à luz da manhã, e, quando tentaram fugir, os policiais abriram fogo e eles foram mortos instantaneamente.



O carro em que Bonnie e Clyde estavam ao serem mortos se encontra no Museu Nacional do Crime e do Castigo em Washington, assim como outros pertences do casal, recuperados pela polícia.



Em 1967 foi lançado o filme "Bonnie e Clyde - uma rajada de balas" que conta a história do casal apaixonados pelo mundo do crime. Foi considerado um dos mais importantes filmes da época.

Em 2014 foi lançado uma minissérie com duração de 4 horas de exibição, dividida em duas partes: "Bonnie e Clyde - uma vida de crime" que também conta a história do casal e de seus crimes.

Eu assisti a minissérie, gostei muito e indico pra vocês.

Bom eu sou um pouco suspeita pois eu gosto muito de acompanhar filmes que relatam histórias reais, como eu já disse, mas a minissérie é muito bem feita. Bora conferir?


Sibely Martello Vilches
Postar um comentário